Afinal, eu sei que você quer saber ;)


Em uma pesquisa realizada pela UMR Research da Nova Zelândia, descobriram que quase a metade dos pesquisados pensa que é moralmente aceitável ver pornô na Internet, enquanto baixar música e filmes ilegalmente não é bem visto pela maioria dos interrogados. A pesquisa realizada chegou a algumas conclusões interessantes com respeito aos prazeres da Internet:

  • 41% pensa que ver pornografia on-line é moralmente aceitável;
  • 18% não vê nenhum problema em baixar música ilegalmente;
  • 13% acredita que não há problema em ver um filme na internet sem pagar;
  • 18% acredita que é normal ver pornô em segredo, sem que o parceiro saiba;
  • 31% disse que é moralmente aceitável ver programas de televisão com copyright no YouTube;
  • 13% acha que baixar vídeos com direitos autorais é moralmente aceitável.

Claro que ante uma pesquisa deste tipo as respostas se inclinarão ao que é moralmente aceitável, mas o ilustre Ron Jeremy (rei do pornô) diz que “piratear filme pornô é tão ilegal quanto imoral”.

Agora, examinemos um pouco esta indústria que em grande parte ajudou a criar os novos formatos da era digital. Se não fosse a pornografia é bem possível que estaríamos atrelados a formatos de gravação vídeo tão antigos e ultrapassados quanto o Betamax. Muito antes de que as pessoas começassem a ver pornografia em seus telefones celulares, o homem das cavernas já fazia representações de pintura com atos sexuais nas paredes de sua gruta. O homem sempre foi intrigado pelas coisas da natureza sexual e está presente hoje mais que nunca, simplesmente porque é fácil com os avanços da tecnologia.

Mais números da indústria pornô:

  • 43% de todos os internautas vêem material pornográfico (1 de cada 3 são mulheres);
  • Apesar de, pelo primeiro ano, não aparecer como os termos mais buscados no Google Brasil, “sexo” e “pornô” permanecem dentro do top 5 de palavras mais buscadas por jovens abaixo dos 18 anos;
  • Só 3% dos sites requerem uma verificação de idade;
  • Só 0,5% dos sites tem certificadores de conteúdo;
  • 35% de todas as descargas em internet são relacionadas a pornografia;
  • A média de tempo para ver pornô na internet é de 15 minutos;
  • 10% dos usuários que vêem pornô admitem ser viciado à pornografia;
  • Em todo mundo a pornografia gera ganho de 97 mil milhões de dólares (28% China, 27% Coréia do Sul, 21% Japão, 14% EUA);
  • Estados Unidos gasta 13.600 milhões de dólares em pornô;
  • Companhias como a Time Warner, GM e Marrriot fazem milhões vendendo erotismo;
  • San Fernando Valley (ao sul da Califórnia) produz 90% de todos os filmes pornográficas e estreia 20 mil filmes para adultos ao ano;
  • Uma estrela pornô feminina pode ganhar em qualquer lugar de 100 mil a 250 mil dólares ao ano;
  • Em média uma ator pornô pode ganhar até 40 mil anuais;
  • Ron Jeremy mantém o recorde de mais aparecimentos em filmes pornô (mais de 1500) e para contar estas histórias abriu um perfil no Twitter para seu pênis;
  • Muitos atores heterossexuais fazem pornô gay por dinheiro, é o tal “gay for pay“;
  • 15 novos casos de DSTs de atores e atrizes pornô são reportados a cada semana

Fonte

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: